Células-tronco e biônicas




Em alguns campos, elas estão em competição. Tomemos como exemplo o olho. É o órgão dos sentidos mais utilizado, mas também muito sujeito a ferimentos e a doenças degenerativas, como a degeneração macular, causa mais comum de cegueira.
Existem várias pesquisas com células-tronco para tratar problemas de visão e mesmo cegueira. Um exemplo é o trabalho da Advanced Cell Technology (ACT – Tecnologia Avançada de Células) que está usando células embriônicas para gerar células epiteliais retinais pigmentadas, que já estão em testes para tratar duas formas diferentes de degeneração macular.
Ao mesmo tempo, pesquisadores de biônica também estão fazendo progressos na restauração da visão. Um dos projetos nesta área implantou um telescópio biônico nos olhos de um paciente que sofre de degeneração macular. E, aparentemente, está funcionando!
Parece coisa de ficção científica, mas nas próximas décadas vários órgãos humanos poderão ser substituídos usando células-tronco ou biônicas, ou mesmo ambas. Por exemplo, já existe um meio de “reconstrução” de pele que pode ser aplicada com um spray de células-tronco, e também substituição de genitais com células-tronco. Há também o tratamento de surdez usando células-tronco, que tem promessas bem concretas para os próximos dez anos, junto com os implantes auditivos “biônicos”.
O próximo passo é a substituição de membros perdidos, mas, neste campo, a biônica está bem mais avançada que a tecnologia de células-tronco. [Science 2.0]

Nenhum comentário:

Postar um comentário