Divórcio dos pais pode aumentar risco de derrame em homens



A pesquisa usou como base dados de mais de 9,9 mil homens e mulheres dos Estados Unidos que responderam a uma enquete nacional em 2010. Dos 4.047 homens entrevistados, 165 relataram ter tido um derrame. Mesmo levando-se em conta outros fatores de risco (como tabagismo, uso de álcool, obesidade e sedentarismo), o problema foi mais comum entre filhos de casais divorciados. Curiosamente, o divórcio não aumentou o risco de derrame entre mulheres.
De acordo com o pesquisador Esme Fuller-Thomson, da Universidade de Toronto (Canadá), não ficou claro como o divórcio está relacionado com o risco de derrame, mas é possível que ele mude a forma como os rapazes reagem ao estresse.
Vale lembrar, porém, que não foi encontrada uma relação de causa e efeito, mas sim uma associação. Dessa forma, novos estudos de longo prazo com filhos de casais divorciados são necessários para confirmar (ou não) os resultados. Em caso afirmativo, “talvez profissionais de saúde devam considerar o divórcio dos pais um fator para melhorar a educação preventiva contra o derrame”, aponta Fuller-Thomson.
Em 2011, a mesma equipe conduziu um estudo com mais de 13 mil canadenses e os resultados foram similares: aqueles cujos pais haviam se separado apresentaram duas vezes mais chances de sofrer derrame na vida adulta.[Live Science]

Nenhum comentário:

Postar um comentário