A rodovia pavimentada mais alta do mundo

A nova Estrada do Pacífico, entre Brasil e Peru, no trecho Andino peruano, finalizada em dezembro de 2010, se tornou a rodovia internacional pavimentada mais alta do mundo, com 4.735m de altitude em Pirhuayani, desbancando a Estrada de Karakoram, que tem 4.693m.


A estrada forma uma sequência de curvas inacreditável pelas encostas da cordilheira, com belíssimas vista do espetacular Pico de Ausangatec, com seu cume forrado de neve a 6.300m de altitude.


A Estrada do Pacífico, também conhecida como Rodovia Interoceânica é uma estrada binacional ligando o noroeste do Brasil (estado do Acre) ao litoral sul do Peru.


A parte da rodovia que fica dentro do território brasileiro é identificada como BR-317 enquanto no Peru é chamada apenas de Carretera Interoceanica.


Dentro do Brasil a "Estrada do Pacífico" começa na BR-364 em Porto Velho (RO) e no Acre continua pela BR-317, que passa por Rio Branco e vai até Assis Brasil, na tríplice fronteira com o Peru e Bolívia.


No Peru, a Estrada do Pacífico se divide inicialmente em duas, uma em direção a Oeste, que no Peru segue pela rodovia PE-030, desde Nazca, passando por Cuzco, até o porto de San Juan de Marcona. A outra rota, em direção ao Sul, se subdivide em duas na região próxima ao Lago Titicaca, e segue pela PE-034 até o porto de Matarani e pela PE-036 até o porto de Ilo.


A Estrada do Pacífico é o primeiro eixo Atlântico-Pacífico na América do Sul. Além de favorecer a integração sul-americana, o turismo e o comércio bilateral entre o Brasil e o Peru, garantindo o acesso dos produtos peruanos ao Oceano Atlântico e dos produtos brasileiros ao Oceano Pacífico.


A distância entre Porto Velho e Assis Brasil é de 777 km. No lado peruano, a distância de Iñapari até Ilo é de 1.226 km, enquanto o trecho Iñapari-Matarani tem 1.419 km.


Em 2006 foi inaugurada em 2007, no lado brasileiro e começou a funcionar plenamente, com todos os trechos asfaltados no lado peruano, apenas em dezembro de 2010.

Localização por satélite

Ver mapa maior

Nenhum comentário:

Postar um comentário