Câncer de próstata é assintomático

Especialista afirma que câncer de próstata é assintomático na fase inicial
O câncer de próstata é uma das doenças com maior incidência no mundo, e é o segundo tipo de câncer mais recorrente entre os homens. No Brasil, em 2013, cerca de 14 mil mortes pela doença foram registradas. Nesse ano, a estimativa é de que 61.200 casos novos de câncer de próstata sejam descobertos. Entre 2016 e 2017, 600 mil novos casos devem ser contabilizados no país. 

De acordo com a Secretaria de Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora, 54 homens morreram por conta da doença na cidade em 2015.

 “Nas fases iniciais, quando ainda há chances de cura, praticamente não há sintomas. Eles vão surgir quando o câncer já é metastático”, explicou o urologista Fernando Henrique Fernandes Neves Ribeiro. Na fase avançada, o paciente pode sentir dores no quadril ou na coluna, dificuldade para urinar ou urinar sangue, detalhou o especialista. 

O principal fator de risco é a genética. Um paciente, cujo pai ou tio tiveram câncer de próstata, tem o dobro de risco para desenvolver a doença, em relação a população em geral. 

O urologista reforçou que, os homens com a doença no histórico familiar e homens negros, etnia mais propensa a doença, devem fazer os exames a partir dos 45 anos. Já aqueles que não possuem a doença no histórico da família e de outras etnias devem iniciar o exames aos 50 anos. 

Outros fatores de risco estão ligados a estilo de vida, como o sedentarismo, obesidade, tabagismo, entre outros. 


O diagnóstico do câncer de próstata é baseado no toque retal e no nível de proteína do sangue (PSA). A dosagem do PSA, por meio de exame laboratorial, é feita para saber se existe um câncer de próstata sem sintomas. “O toque retal ainda é um tabu por falta de conhecimento.

 É um exame indolor, que dura entre 15 e 30 segundos, não precisa de equipamentos médicos, medicação ou preparo do paciente. Alguns pacientes, após realizar o exame, dizem ‘é só isso?’ e ficam tranquilos”, disse o urologista. 

Se tratado nas fases iniciais, o câncer de próstata tem possibilidade de cura cima de 90%. Se não for tratado a tempo, a doença se torna metastática, por isso, sem chance de reversão do quadro. “O máximo que podemos fazer é aumentar a qualidade e a sobrevida do paciente”, disse Ribeiro. 

O especialista também afirmou que muitos associam o tratamento do câncer com a impotência sexual, ele garantiu que nas fases iniciais da doença, é possível manter o tratamento e a vida sexual ativa do paciente. “Realizar os exames e visitar o urologista são os fatores principais para prevenção”, finalizou.

Novembro azul

A Subsecretaria de Atenção Primária à Saúde (SSAPS) realizará, em 18 unidades de Atenção Primária à Saúde (Uaps), em celebração a campanha Novembro Azul, de prevenção ao câncer de próstata, uma programação com horário diferenciado de atendimento para os homens acima de 40 anos.As consultas ocorrem entre os dias 16 e 29 de novembro, entre às 18h e 20h. O atendimento em cada Uaps terá um dia específico. 

Serão oferecidos exames de próstata e de sangue. Além do foco na prevenção ao câncer de próstata, também serão realizadas atividades educativas, com informações relevantes sobre diversos temas, como prevenção e controle de doenças sexualmente transmissíveis (DST/Aids); direitos reprodutivos e planejamento familiar; violência sexual e familiar; tabagismo; alcoolismo; imunização; hipertensão arterial; diabetes; obesidade; saúde do trabalhador; vigilância nutricional e alimentar; importância da atividade física, e mental, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário