Eric Aniva contou à BBC que já fez sexo com 104 garotas e a maioria delas tinha entre 12 e 13 anos

18/11/2016     Na região de Nsanje, no sul do Malauí, há uma tradição na qual meninas, quando atingem a puberdade, devem fazer sexo com um homem que é contratado para performar o ato. Essa prática não é vista como estupro pelos mais velhos da região.

Ela é vista como um ritual para limpar as meninas de suas impurezas e, se não for feito, uma maldição pode recair no clã da menina, trazendo doenças e mortes.

Eric Aniva é um desses homens, chamados de “hyenas”, que são contratados pelos pais para fazerem sexo com suas filhas.

Os “hyenas” devem fazer sexo sem proteção com garotas por três dias após a primeira menstruação das mesmas. E a “limpeza sexual” também é necessária para viúvas ou viúvos e para mulheres que sofreram aborto. Eric Aniva contou à BBC que já fez sexo com 104 garotas e a maioria delas tinha entre 12 e 13 anos. Mas, segundo ele, ele prefere as mais velhas.

Aniva afirmou que as mais velhas são melhores, pois elas podem apreciar a masculinidade dele e elas se orgulham de falar que ele é um “homem de verdade”. Mas muitas meninas da região afirmam o contrário: que elas não queriam se submeter a isso, mas foram coagidas, pois não queriam amaldiçoar suas famílias.
O problema é que Eric Aniva descobriu que era portador do vírus HIV e, mesmo assim, não parou de trabalhar como “hyena”. Ele manteve essa informação em segredo dos pais, das meninas e da vila e infectou dezenas de garotas com o vírus da AIDS.

Prisão e julgamento
Eric Aniva foi preso em julho por ordens presidenciais. O presidente do Malauí, Peter Mutharika, queria que Aniva fosse julgado por ter desvirginado as garotas, mas nenhuma delas se apresentou para testemunhar contra o “hyena”.

Por causa disso, o motivo do julgamento de Aniva foi outro: pela prática de um ritual, considerado perigoso pela seção 5 da Lei de Equidade de Gênero do país, no qual ele faz sexo com uma mulher recém-viúva.

Sob essas alegações, duas mulheres se apresentaram para dar evidências sobre Aniva. Uma disse que, quando fez sexo com ele, a prática ainda não estava banida no país e a outra afirmou que ela conseguiu escapar antes de cosumar o ato.

Se Eric Aniva for considerado culpado, ele pode pegar até cinco anos de prisão.

Com informações de BBC

Nenhum comentário:

Postar um comentário