Homem que tentou comer pimenta mais forte do mundo depende de tubo para sobreviver

Um norte-americano de 47 anos de idade tentou comer um hambúrguer repleto de um molho de pimenta de origem indiana, chamada de Bhut Jolokia (também conhecida como Naga Jolokia, Ghost Chili, Ghost Pepper e Naga Morich).

De acordo com informações do jornal Daily Mail, ele teria começado a vomitar com tanta violência que precisou ser hospitalizado.

Chegando lá, os médicos descobriram um buraco de 2,5 centímetros em seu esôfago, mantendo-o internado por cerca de 23 dias.

Segundo os relatos publicados pelos médicos do caso no Journal of Emergency Medicine, além de crises de vômito, o homem ainda cambaleava de dor, ao passo que foi levado para a sala de emergência, onde exames de varredura, realizados no abdômen e na pélvis, revelaram um acúmulo de ar, líquidos e alimentos dentro do corpo.

Ele foi levado para cirurgia onde os médicos descobriram o buraco no lado esquerdo da garganta em direção ao esôfago. Ainda, foi relatado que precisou de um tubo para auxiliar na respiração por um período de 14 dias enquanto se recuperava. O norte-americano passou mais nove dias no hospital, até que recebeu alta.

Porém, ele agora precisará utilizar um tubo de alimentação para que possa sobreviver.
No artigo, um dos médicos escreveu que o caso serve como um lembrete importante de que a necessidade de uma cirurgia de emergência inicialmente pode ser interpretada como desconforto após uma refeição picante. Além disso, poucas pessoas conseguem sobreviver com um buraco no esôfago – uma complicação médica conhecida como Síndrome de Boerhaave.

Bhut Jolokia
 
A Bhut Jolokia, de cor vermelha ou laranja luminosa, é oriunda da Índia, e de acordo com especialistas em pimentas, o seu efeito começa a ser sentido logo na língua.

Quando é mordida, libera um composto químico ativo chamado de capsaicina, que por sua vez estimula os receptores de calor e dor presentes na língua. O cérebro então interpreta essa ação como se ela estivesse sendo queimada, e logo começa a produção de endorfina (que promove a sensação de bem-estar).

A capsaicina também é capaz de alterar o equilíbrio da temperatura do corpo, promovendo ondas de suor e calor.

De acordo com informações do jornal Daily Mail, ele teria começado a vomitar com tanta violência que precisou ser hospitalizado. Chegando lá, os médicos descobriram um buraco de 2,5 centímetros em seu esôfago, mantendo-o internado por cerca de 23 dias.

Segundo os relatos publicados pelos médicos do caso no Journal of Emergency Medicine, além de crises de vômito, o homem ainda cambaleava de dor, ao passo que foi levado para a sala de emergência, onde exames de varredura, realizados no abdômen e na pélvis, revelaram um acúmulo de ar, líquidos e alimentos dentro do corpo.

Ele foi levado para cirurgia onde os médicos descobriram o buraco no lado esquerdo da garganta em direção ao esôfago. Ainda, foi relatado que precisou de um tubo para auxiliar na respiração por um período de 14 dias enquanto se recuperava.

O norte-americano passou mais nove dias no hospital, até que recebeu alta. Porém, ele agora precisará utilizar um tubo de alimentação para que possa sobreviver.

No artigo, um dos médicos escreveu que o caso serve como um lembrete importante de que a necessidade de uma cirurgia de emergência inicialmente pode ser interpretada como desconforto após uma refeição picante.

 Além disso, poucas pessoas conseguem sobreviver com um buraco no esôfago – uma complicação médica conhecida como Síndrome de Boerhaave.

Bhut Jolokia
A Bhut Jolokia, de cor vermelha ou laranja luminosa, é oriunda da Índia, e de acordo com especialistas em pimentas, o seu efeito começa a ser sentido logo na língua.

Quando é mordida, libera um composto químico ativo chamado de capsaicina, que por sua vez estimula os receptores de calor e dor presentes na língua.

O cérebro então interpreta essa ação como se ela estivesse sendo queimada, e logo começa a produção de endorfina (que promove a sensação de bem-estar).

A capsaicina também é capaz de alterar o equilíbrio da temperatura do corpo, promovendo ondas de suor e calor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário