OS RELÁGIOS MAIS CAROS DO MUNDO

10 dos relógios mais caros do planeta


Existem vários acessórios que transmitem a ideia de status e poder, e um dos adereços mais representativos disso são, sem dúvida nenhuma, os relógios.

 Ou você vai dizer que nunca reparou nos modelos luxuosos e caríssimos que craques de futebol, chefes de estado e outros figurões levam pendurados nos pulsos — e, em alguns casos, nos bolsos?

Sem falar que, além desses relógios criados para serem ostentados por seus donos ricaços, também existem exemplares únicos e extremamente raros que despertam o desejo de colecionadores mundo afora, e esses sim podem custar verdadeiras fortunas! 

Ficou curioso para conhecer alguns deles? Então, confira alguns dos relógios mais caros do planeta na lista a seguir:

10 – Piaget Emperador Temple

Valor: US$ 3,3 milhões.

Completamente coberto por centenas de diamantes, o Piaget Emperador Temple é, na verdade, dois relógios em um. Seu mostrador — com fundo feito de madrepérola da Polinésia — fica oculto atrás de uma pequena janelinha inserida sobre uma espécie de pirâmide que também se abre, revelando um segundo relógio interno.
Apenas uma unidade do Emperor Temple foi produzida — e vendida por US$ 3,3 milhões (perto de R$ 8 milhões) —, mas a Piaget aceita encomendas, caso você tenha interesse em desfilar com um exemplar no pulso.

9 – Patek Philippe 1928

Valor: leiloado por US$ 3,6 milhões.

Como o exemplar acima foi produzido em 1928, praticamente às vésperas da grande quebra do mercado de ações nos EUA, ele se tornou o modelo mais simbólico já lançado pela Patek Philippe. O relógio é feito em ouro branco 18 quilates e conta com outras joias inseridas em seu mecanismo, e foi leiloado por pouco mais de US$ 3,6 milhões (cerca de R$ 8,6 milhões) em 2011.

8 – Patek Philippe Platinum World Time

Valor: avaliado em US$ 4 milhões.

Acredita-se que apenas uma unidade do Patek Philippe Platinum World Time foi produzida e, quando foi lançado — no ano de 1939 —, esse relógio era o mais caro do mundo. Feito completamente em platina, este exemplar extremamente raro foi vendido por pouco mais de US$ 4 milhões (ou cerca de R$ 9,6 milhões) em 2002.

7 – Louis Moinet Meteoris

Valor: US$ 4,6 milhões.

Sabe o que faz o relógio acima algo tão especial? Ele conta com um fragmento do raríssimo meteorito lunar Dhofar 459, e faz parte de uma edição limitada que conta com apenas quatro exemplares, cada um com um pedacinho de rocha espacial diferente da outra. Você pode conferir as demais peças da coleção na galeria a seguir, com os respectivos fragmentos extraterrestres indicados nas legendas:
Galeria 1

6 – Breguet et Fils No. 2667

Valor: leiloado por quase US$ 4,7 milhões.

Apesar de o relógio acima parecer meio sem graça, ele é considerado extremamente raro e foi vendido originalmente em Londres por 5 mil francos no ano de 1814. A peça é feita de ouro 18 quilates e possui dois mecanismos completos em seu mostrador, e foi comprada por US$ 4,7 milhões — ou cerca de R$ 11 milhões — durante um leilão em 2012.

5 – Hublot Big Bang

Valor: US$ 5 milhões.

A peça acima está mais para uma joia do que para um relógio! De fabricação suíça, o acessório conta com nada menos que 1280 diamantes de 3 quilates cada um, e a Hublot levou um ano para conseguir reunir todas as joias necessárias para produzir o Big Bang.

E, depois, cada um dos diamantes foi trabalhado por um famoso joalheiro de Nova York para que todos tivessem as mesmas características. Sabe quem tem um? Jay Z, que ganhou de presente da esposa Beyonce. Pobrinhos...

4 – Patek Philippe Reference 1527

Valor: leiloado por US$ 5,7 milhões.

O relógio de pulso acima, embora pareça ser simples e não ter nada de especial — além do preço! —, é feito em ouro 18 quilates, seus ponteiros são de prata, os números de ouro, o mecanismo interno conta com 23 joias, e ele traz um calendário perpétuo e até mostrador para as fases da lua.

A peça pertencia à família Stern, dona da fabricante de relógios de luxo Patek Philippe, e apesar de ter sido avaliado entre US$ 1,4 milhão e US$ 2,3 milhões, o relógio foi comprado em um leilão por US$ 5,7 milhões em 2010.

3 – Patek Philippe Henry Graves Super Complication

Valor: avaliado em US$ 11 milhões.

Você alguma vez imaginou que um relógio de bolso pudesse ser tão valioso? Pois o modelo acima, além de ser pra lá de caro, também tem uma história interessante associada a ele. Nos anos 20, uma dupla de amigos norte-americanos muito ricos — o fabricante de automóveis James Packard e o banqueiro Henry Graves — decidiu apostar qual conseguiria por as mãos no relógio mais complicado do mundo.

Quem iniciou a batalha foi Packard, contratando os serviços da fabricante Patek Philippe, a mesma que produziu o relógio do item anterior. Graves, que não queria ficar atrás, também encomendou à fabricante um modelo único e pagou uma quantia 5 vezes mais alta do que a paga pelo amigo.
O resultado foi uma peça supercomplexa que ganhou o nome de Super Complication feita de ouro maciço 18 quilates com 24 funções, como uma cronológica para cada hora do dia, um alarme para os minutos e um mostrador com os edifícios de Nova York. O relógio foi adquiro em 1999 por um comprador anônimo em um leilão por extraordinários US$ 11 milhões, e atualmente está em exposição em um museu dedicado à Patek Philippe em Genebra, na Suíça.

2 – Chopard 201 quilates

Valor: avaliado em US$ 25 milhões.

Além de ser um dos relógios mais caros do mundo, o Chopard 201 quilates também é o mais extravagante! De fabricação suíça, este acessório conta com um total de 874 diamantes incrustados: três em forma de coração, 289 em formato de pera, 139 redondos e, para finalizar, 443 diamantes amarelos.

O mostrador mesmo fica meio escondido em meio a tanta preciosidade, e seu design permite que a face do relógio se abra como pétalas de rosa. Você acha exagero? Pois, como você já deve ter imaginado, o Chopard é um item de colecionador e alguém pagou exorbitantes US$ 25 milhões — ou perto de R$ 60 milhões — por ele em um leilão.

1 – Breguet Grande Complication Marie-Antoinette No. 160

Valor: avaliado em US$ 30 milhões.

Também conhecida simplesmente como Marie-Antoinette ou The Queen, a peça acima foi criada em pelo relojoeiro suíço Abraham-Louis Breguet supostamente a pedido de um amante da famosa rainha francesa. No entanto, apesar de Breguet ter começado a trabalhar no relógio em 1782, ele só foi terminado pelas mãos de seu filho em 1827, quatro anos após a morte do suíço — e alguns anos depois de Marie-Antoinette ser mandada à guilhotina.

O relógio conta com todas as funções conhecidas para a época e sua estrutura é feita em ouro.
 O intrincado mecanismo interno fica à mostra, e Breguet usou safiras para reduzir o atrito das peças. 

Único no mundo, ele fazia parte de uma coleção do L.A. Mayer Institute for Islamic Art de Jerusalém, foi roubado por um celebre ladrão nos anos 80, recuperado em 2007, e se tornou objeto de desejo de colecionadores do mundo todo.

Uma réplica da peça foi produzida pelos relojoeiros da atual Breguet, e foi avaliada em US$ 10 milhões (ou aproximadamente R$ 24 milhões), e o valor do original é estimado em exorbitantes US$ 30 milhões — ou perto de R$ 72 milhões!

Nenhum comentário:

Postar um comentário